Fale Conosco

investeae.org

Decisão do FED pode impactar Dólar e Bolsas de Valores do Brasil e mundo | Política monetária do FED

Dicas e Sacadas

Decisão do FED pode impactar Dólar e Bolsas de Valores do Brasil e mundo | Política monetária do FED

Muita informação, né? Assiste esse aulão GRATUITO que vai te ajudar: https://bit.ly/3KQ0Ive
O que é FED? O Federal Reserve conduz a política monetária da economia norte-americana, mas tem a consequência de interferir no mundo inteiro. Muito aguardado por economistas e investidores de todo o mundo, a decisão a respeito de pistas do inevitável aperto econômico do país e consequentemente do mundo.

O que aconteceu com o FED durante a pandemia? Os juros norte-americanos flutuaram de 0 a 0,25% tentando combater o crescimento da taxa de desemprego, que teve uma média de 8,3% no ano.

Mas, qual o impacto de juros baixos dos Estados Unidos? Juros mais baixos barateiam o acesso a crédito. Dessa forma, com a decisão de juros baixos no país as pessoas consomem mais, empresas vendem mais e desemprego diminui.

Mas manter a taxa de juros tão baixa por tanto tempo, assim como promover diversos pacotes de estímulo econômico, como fez Joe Biden, e a compra de títulos públicos, tem uma outra consequência além de reduzir o desemprego: aumentar a inflação.

E assim aconteceu. Em 2021 a inflação norte americana fechou em 7%, a maior inflação registrada nos últimos 39 anos do país.

Por que a inflação dos EUA cresceu? Simples: aumento da circulação de dinheiro numa taxa maior do que a produção de riqueza.

Mas agora o desemprego está controlado, a um taxa de 4,2% – condizente com a média pré-pandemia. Por isso será que faz sentido manter os juros baixos e continuar despejando dinheiro na economia? Não. Afinal, isso só acarretaria no crescimento desenfreado da inflação. Controlar a inflação passou a ser o foco.

Num comunicado emitido na última quarta-feira, já tinha sido percebido um postura Hawkish do FED.

O que é Hawkish e Dovish?

Hawkish = redução de estímulos
Dovish = Manutenção de estímulos

O FED vem dado pistas sobre sua oposição, onde ele retirou a denominação da inflação como “transitória”. Isso significa que devemos esperar altos juros e fim do período onde os juros se permaneceram baixos.

Segundo Mollica, o Fed dobrou o passo da redução da compra de ativos (“tapering), de US$ 15 bilhões para US$ 30 bilhões por mês.

Os “dot plots”, gráficos que indicam as tendências para os cenário de juros segundo a visão dos integrantes do BC, sinalizam agora três altas de 0,25 ponto percentual cada em 2022, mais três em 2023 e outras duas em 2024, o que levaria a mediana das taxas dos Fed Funds para 2,1% no fim do ciclo.

No comunicado, o Fed removeu a linguagem suave em relação à inflação. Agora, a indicação é que o objetivo de inflação já foi atingido e só restaria completar a meta de emprego para começar a subir juros. Com desemprego em 4,2%, este objetivo está também muito próximo de ser atingido, que a meta é 3,5%. Durante 2020, a média foi de 8,3%.

Beleza, mas como isso interfere no sue bolso e no resto do mundo?

Bolsa estadunidense cai. Já caiu 8,7% desde a sua máxima no início de janeiro e consequentemente o dólar sobe. Em um cenário de alta dos juros ocorre uma migração de diversos investimentos do mundo para os EUA. A alta dos juros nos EUA tem como consequência uma visão positiva e segura a respeito de investir em títulos públicos americanos, já que os juros serão altos e muito mais atrativos por se tratar de uma moeda fortíssima. Dessa forma, investidores podem retirar seu capital do Brasil e de investimentos alternativos, como criptomoedas, e aplicam diretamente nos EUA por se tratar de um investimento com muito menos risco e uma rentabilidade interessante.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Clique Para Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook

To Top